Filarmónica Gafanhense com novos corpos sociais

Projetos em parceria com escolas da região 
na agenda da nova direção

Novo presidente profere discurso de tomada de posse
No dia 20 de fevereiro deste ano, reuniram-se os membros dos Corpos Sociais da Filarmónica Gafanhense, eleitos no passado dia 13 de fevereiro, a fim de formalizarem a tomada de posse para o biénio 2016/2017. 
Na sua intervenção, o novo presidente da direção, Paulo Miranda, agradeceu o voto de confiança que lhe foi dado e salientou que conta com o apoio de toda a comunidade para engrandecer esta instituição com 180 anos de vida. Disse que «é tempo de mostrar mais uma vez que desafios existem sempre e que estaremos aqui para dar o corpo ao manifesto para engrandecer esta nobre associação», enquanto referiu que também «é tempo de mostrar às gerações anteriores que não passaram dificuldades em vão» e que temos de «mostrar que estamos vivos e diligentes». 
Garantiu que «o nosso futuro a nós pertence», prometendo «manter e melhorar as relações com as entidades aqui presentes e com as demais».
O novo presidente da direção assume, «perante toda a comunidade», o compromisso de apresentar, «quanto antes», um novo fardamento. «Sabemos que é um investimento elevado, mas contamos com o esforço e dedicação de todos os membros da Filarmónica Gafanhense e de todas as entidades».
Referindo-se à Casa da Música, «um objetivo há muito pretendido», disse que tudo estará em vias «de se concretizar». «Já é tempo para que a instituição mais antiga do nosso concelho reúna as condições para continuar a crescer numa sede própria e, com isto, conseguir apresentar-se com qualidade e representar a nossa região por esse Portugal fora», garantiu. 
Salientou «o enorme esforço feito pela nossa escola de música que nos tem proporcionado a integração de novos elementos», como «há muito não se via nesta instituição». Contudo, frisou que é necessário adquirir novos instrumentos para a aprendizagem dos mesmos. «Pretendemos ainda reforçar as iniciativas realizadas anteriormente para divulgação», desenvolvendo «projetos em parceria com os estabelecimentos de ensino da nossa região». 
Paulo Miranda agradeceu ao presidente cessante, Carlos Sarabando, o «excelente trabalho e dedicação» que desenvolveu «em prol desta instituição». E aos executantes da filarmónica expressou a sua gratidão por poder trabalhar com todos, salientando quanto aprecia o seu «esforço, empenho e amor à música». Também saudou o maestro, professor Paulo Margaça, «pelo trabalho e dedicação à filarmónica, de uma forma abnegada e sempre disponível». 

Fernando Martins

Corpos Sociais 

Assembleia Geral 

Presidente: Dário Jorge Martins Camilo
1.º Secretário: Lurdes Fátima Marques Faneca 
2.º Secretário: Pedro Jorge Jesus Bola 

Conselho Fiscal 

Presidente: João Álvaro Teixeira Rocha Ramos 
1.º Secretário: Vítor Manuel Silva Lopes
2.º Secretário: Paulo Sérgio Oliveira Soares 

Direção 

Presidente: Paulo Agostinho Marinho da Igreja Miranda
Vice-Presidente: Pedro Manuel Lourenço dos Santos 
Secretário: Ana Paula Jesus Bola 
Tesoureiro: Alcino Marçalo dos Santos Patoilo
Vogal: Ricardo Daniel Ramos Mendes Executante 



Comentários